"Um corpo sem alma é como um disco de vinil que não toca ..."

"O jornalista fere no peito o escritor. O escritor repele o jornalista, por esmagá-lo, por obrigá-lo a renascer quase sempre de um mesmo patamar. Feliz daquele que, nesse embate, consegue servir, e bem, aos seus dois senhores..."

Política. Música. Música. Vida. Rock. Cinema. Cultura.

quinta-feira, 16 de março de 2006

Abey Road

Depois que descobri os Beatles passei a ser mais feliz. Não, eu não descobri os Beatles aos 21 anos de idade. Uso o termo "descobri" porque conhecia a banda, mas não tinha noção da grandeza musical dos caras. Sim, eu já sabia que eles foram uma puta banda, que arrastavam multidões e sabia dos seus hits. Digo descobri porque passei a ouvir as músicas com mais atenção...

Foi na estante de casa que descobri! o Abey Road, disco datado de 68. Capa famosa, com os quatro integrantes atravessando uma rua na faixa de pedestres ( Paul Mv]cCartney, J. Lennon, Ringo Star e George Harisson). A sonoridade é incrível e eu dizendo isto em 2006, fazem quase 40 anos, várias resenhas já foram feitas, o disco e algumas músicas são batidas, mas a geração atual desconhece, infelizmente.

Surpreendo-me cada vez que o vinil vai para a vitrola (sim vinil, o cd não tenho, nem o quero, o bolachão é bem mais legal). Isso porque minha querida mãe tem o artefato e devo ouvi-lo desde o berço, isto é bastante provável. Quando eu cheguei da maternidade, meu tio João disse para colocarem algo pra comemorar o nascimento. E escolheram Raul. E hoje gosto bastante dele. Mas enfim, voltando ao Abey Road, gosto mais do lado B. O disco troca de faixa e vc não percebe, é como se fosse todas as canções grudadas. Intereressantíssimo.

Entretanto, se não se aprecia pelo menos um pouco, de música das décadas de ouro pro rock (60 e 70), acho que não vai entender o que estou dizendo. Uma pena. AAh! Façam o favor de ouvir o Abey Road. Eu não empresto, mas convido a ouvi-lo na minha casa...

4 comentários:

_Maga disse...

Beatles... muitos anos depois e eles continuam sendo assunto... e assunto dos bons!!!! Um grande beijo

Júlia Dantas disse...

Beatles é o seguinte: qualquer um que descobre se apaixona.
Beatles é o início. O fim. E o meio.
Beatles é paixão. É sincero e eterno amor.
Beatles is a way of life. Ou quase. Bom, pro Tetê é, rs

Ó Gá... toca Helter Skelter em minha homenagem lá non the rock!

:*****

shun disse...

"ouvir lá em casa"...hahahaha...o gabrielzito é foda..chaveca as mulheres até por crônica...hahaha...eê grabriel ruiz!!...mas voltando ao assunto os beatles só foram os caras que mais experimentaram na música em todos os tempos (e podiam fazer isso graças aos "iêe-iêe-iêes" dos primeiros discos que cativaram pra sempre, quase literalmente, o mundo todo)...salve a experimentação dos Beatles (de onde saiu muita coisa boa, usada e renovada até hoje)!! e salve George Harrison que foi o mais sincero deles, o que mais sentiu, as músicas mais líricas e marcantes são dele - something, in my life, taxman, entre outras (há controvérsias...eu sei, eu sei!)

krol araujo disse...

bom... gabriel..
to dando uma olhada nu seu blog;;;;
o q posso dizer dele..
bom...num entedi nada quase..
mais gostei..
bom..
eh isso ae..
bjo
te ,mais