"Um corpo sem alma é como um disco de vinil que não toca ..."

"O jornalista fere no peito o escritor. O escritor repele o jornalista, por esmagá-lo, por obrigá-lo a renascer quase sempre de um mesmo patamar. Feliz daquele que, nesse embate, consegue servir, e bem, aos seus dois senhores..."

Política. Música. Música. Vida. Rock. Cinema. Cultura.

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2007

Outros carnavais

Não quero saber de mortes no trânsito, nem do cotidiano do presidente dos eua, e muito menos quem vai ganhar o carnaval. É tudo isso que o jornal tinha a me oferecer. Será que era o melhor que eles podiam fazer?

Será que em nenhum lugar rolou um movimento alternativo, anti-desfiles, anti-aquela-coisa-igual-de-todo-carnaval?

Silicones, bundas purpurinadas, repórter dizendo pra “sambar no pé”, apuração, beldades (com extremas técnicas estéticas fica fácil ser bela e gostosa) na capa da Caras. Infelizmente, é isso que virou o carnaval, pelo menos é o que vemos na tv. Sorte de quem foi "ver" a natureza.

10 comentários:

Amanda Luz disse...

Pois eh. Procurando por noticias interessantes do meu pais para apresentar numa aula da faculdade, nao achei. :-/

Mas "todo Carnaval tem seu fim".
:-)

Amanda Luz disse...

soh se eu tb puder linkar o seu.
;-P

Joey Potter disse...

Aê. Eu fui visitar a natureza, e descobri uma coisa: a Ilha do Mel é o paraíso, e fica no Brasil.

_Maga disse...

hahaahah Realmente, todo carnaval tem seu fim, Amanda!

E Natália, a Ilha do Mel é o paraiso mesmo... coincidencia, fui pra lá no carnaval passado... (preferia ter ido em uma época mais tranquila, mas é um lugar lindo, lindo, lindo, mesmo assim. Já disse que é lindo? Poxa... lindo mesmo! rs)

****

Sim, sim, eu sei que aconteceram coisas assim, muito interessantes no carnaval, além do próprio (que, se fosse bem explorado, saindo um tantico dos cliches, já seria um tema e tanto). Mas, jornalista também é brasileiro, deve ter seu jeito de curtir o carnaval, e não ficou sabendo do que rolava por ai.

Além do que, o ultimo a saber, é o jornalista. Jornalismo investigativo, hoje, é digitar um tema no Google e ver o que sai.

Oras... rs

bjos

Debys disse...

Ola...
As vezes dá pau mesmo. Se for Mac principalmente.
Mas ele ta rolando.

m. disse...

eu fiquei confinada em casa, não vi natureza, infelizmente... é a melhor terapia pra essas coisas...

bjo ga
saudade
;*****

Claudinha disse...

Eu, que era de brilhos e suores, cansei de tudo isto também e , masi uma vez, fui me encontrar com o mar... Um beijo!

Gabriela disse...

Poxa... sabe, eu acho que hoje em dia todo mundo que não tá a fim de carnaval encontra uma saída. Claro que não será na mídia, que com certa razão explora a "cultura" brasileira. Mas a saída está nos cinemas vazios, nos passeios em parques, em casas noturnas alternativas, em viagens desestressantes. Acho que todos que não gostam de carnaval são capazes de aproveitar pelo menos 4 dias de descanso... de qualquer maneira, todo carnaval tem seu fim. No desespero, desligue a tv, alugue um filme ou leia um livro. Abraço!

luma disse...

Gabriel, moro no meio da encrenca e não vi tv, não sei de desfiles, beldades e tals. Fiz a minha trilha sonora pra abafar o som que vinha de fora. Sem stress! (rs*) Beijus

Fer disse...

lembre-se: nem td é o que parece ser...

não se limite a TV...acredite: o carnaval, pra muita gente (q não é capa de caras, q não tem silicone, q não tá nem aí pra badalação) é muito, mas muuuuuuuuuito mais q isso...

conversaremos sobre isso ainda no momento oportuno ;)