"Um corpo sem alma é como um disco de vinil que não toca ..."

"O jornalista fere no peito o escritor. O escritor repele o jornalista, por esmagá-lo, por obrigá-lo a renascer quase sempre de um mesmo patamar. Feliz daquele que, nesse embate, consegue servir, e bem, aos seus dois senhores..."

Política. Música. Música. Vida. Rock. Cinema. Cultura.

sábado, 28 de julho de 2007

Os neologismos políticos e o ACM

Texto sobre política nacional e ACM que será publicado amanhã no Binóculo.

Já havia me cansado do mensalão, dos nomes que circulam por aí: sanguessugas, navalha, anacondas, valério dutos e todo o restante que já nos esquecemos. Agora me cansei do caso Renan: “gozei, relaxei e pago com a gorjeta da empresa amiga” – como zuou o José Simão noutro dia. O caso perdeu espaço agora na mídia graças ao PAN - que por sua vez promoveu vaias ao presidente.

O fato é que tempos atrás estragaram tudo. Comunistas, socialistas ou uma versão (pós?) moderna destes, não comeram as criancinhas, nem tomaram o poder. A idéia passou. Alguém responde? E hoje então qual é problema da vez? Um amigo comentou inteligentemente que era por causa dos emos.

Mas, “ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais”, diria Belchior.
Continuamos com aquele jeitinho e vontade políticas arranjando favores aos companheiros. Segundo a Veja são desviados aproximadamente 20 bilhões todo ano em esquemas de corrupção no país. Na mesma reportagem, datada da semana de 11 de junho, outro dado promove reflexão: dos cerca de 24 mil cargos de confiança na máquina pública, 21.440 estão na Presidência da República, em ministérios e auxiliares de administração (autarquias); os outros estariam em estatais. Será que é por isso que há tantos nomes (das operações da PF) para os mesmos desbravadores (ou ladrões) das cédulas não mais fabricadas no país desde 95?

Já sabemos que é fácil acusar políticos de longe, inativamente. Porém, esses dados impressionam. Por hora acho que o melhor a fazer é nos mantermos informados para as eleições do ano que vem.

O maior coronel político dos últimos tempos (ACM) foi-se e deixou seu posto vago. Alguém se candidata? E pensar que o hoje vaiado Lula pôde ter a cara de fazer alianças partidárias com o ACM. Como diria algum pensador, “na política vale tudo”, até pagar as contas pessoais com o dinheiro dos outros.

E depois ainda ficam com aquele blá blá blá de que ACM foi isso, foi aquilo, foi importante e o caralho. Importante né? Para as pessoas que se beneficiaram, pra quem estava do lado dele e se deu bem. Pros militares da ditadura e pra rede Globo, como constatou o jornalista que enfrentou ACM, João Carlos Teixeira (o Joca), em entrevista à revista Caros Amigos (09/99): “toda a ascensão de Antônio Carlos Magalhães foi fruto exclusivo da ditadura militar”; “a rede Globo é um instrumento político a seu serviço na Bahia”.

---

Só pra não nos esquecermos, “Lula achava que oposição era fundamental e era preciso criticar, cobrar, provocar, pressionar enquanto os presidentes eram os outros. Agora, acha que é preciso compor, relevar, negociar, passar panos quentes - quando o presidente é ele próprio” – observou brilhantemente a jornalista da Folha, Eliane Catanhede.

---

*Esclarecendo: fui repudiado ("Esclarecimentos ao senhor Gabriel P. Ruiz") pelo departamento de física da universidade onde estudo (Unesp), por causa deste texto ("Estou gravando esta porcaria") enviado a um jornal local, entretanto a minha "tréplica" não será publicada. Portanto, sairá aqui no próximo post. Como podem observar os meus questionamentos no primeiro texto foram outros e não os que a professora elencou.

*Agradeço à todos aqueles que me ajudaram com idéias, atitudes e sobretudo, quem deu pitacos no texto. Valeu.

5 comentários:

Tatiana Aoki disse...

nossa, como seu blog mudou!
ficou muito bom o template...
E ouvir Meddle mais Klaxons...ambos viciam!

SAMANTHA ABREU disse...

pois é.., vi que ela disse lá que a universidade forma excelentes profissionais. Deve ser só isso mesmo. PEna que, hoje, não precisamos apenas de excelentes profissionais.
Precisamos de GENTE.
que pensa, que fala, que luta e que tenta, ainda que aos solavancos, mudar alguma coisa. E se não tenta, pelo menos não atrapalha quem está tentando.
Diretoria de centros e Professores (ainda mais quando são tão bem qualificados como citado pela pessoa em questão) deveriam contribuir para isso. E apoiar. E respaldar.
continuo concordando com você, e achando lamentável.
"Lamentável!"

Daniel Nérso disse...

Pelo q eu li da resposta da professora, ela foi um tanto indireta na resposta e só quis defender a outra professora, sem mtos argumentos.

Eu fico puto ao ler esse tipo de dados sobre corrupção por me sentir impotente. Acho q se de alguma forma mágica, na próxima eleição só fossem eleitos os políticos mais confiáveis, mesmo assim isto iria pouco mudar. Acho q o problema está no sistema política em geral (não sou comunista heheh).

Abraços Ruiz

_Maga disse...

Oi Gabi!

Zine novo no pedaço (você pediu para avisar):
http://locomotivadorock.com.br/

beijos

_Maga disse...

Gabiiii, eu gostei muito do texto!


O ACM faleceu (quase não acreditei quando li a noticia na internet, ele parecia estar na categorias das figuras imortais rs (e não estou falando da Academia brasileira de letras rs)) e com ele a figura mais representativa do coronelismo no pais. Só que fiquei pensando que dependendo de como está a configuração da politica em especial da Bahia, a sua morte pode ser até pior do que a influencia que ele teve em vida. Primeiro: foi por morte que ele saiu do poder, não foi porque a conjuntura politica mudou. Segundo: pode ser que com a sua morte vários “coronelzinhos” assumam a situação, provocando guerras entre facções politicas diferentes (as guerras podem ser politicas e as mortes verdadeiras (como já vinha acontecendo de toda forma, mas talvez em um numero bem maior)). Terceiro: pode acontecer uma proliferação de gangs, crime organizado e coisas do tipo, só piorando a situação.

Não estou aqui endeusando ninguém, e devo admitir que por um bom tempo pensei que muitos problemas seriam resolvido com o sumiço do ACM do cenário politico de Brasília e do nordeste. Mas agora eu sinceramente tenho medo de que, como é provavel que não exista uma estrutura mais hábil em comandar que a atual em especial naquele estado da federação, sem uma figura forte no comando desta estrutura as coisas desandem. Ainda mais quando pensamos que boa parte do poder exercido pelo ACM vinha da coerção e de favores politicos, ou seja: estamos falando de o poder ser tomado por pessoas que vinham agindo de certas formas para agradar a alguém e que já estão corrompidas.

Eu torço para estar totalmente errada.

beijos

Ps.: o que eu chamei de coronelismo na verdade tem um nome particular no caso de ACM: Carlismo. Por que? Porque o que ele fez é diferente do coronelismo e está totalmente contextualizado no seu tempo. O ACM soube como servir as elites e manipular as massas e por isso se deu bem...