"Um corpo sem alma é como um disco de vinil que não toca ..."

"O jornalista fere no peito o escritor. O escritor repele o jornalista, por esmagá-lo, por obrigá-lo a renascer quase sempre de um mesmo patamar. Feliz daquele que, nesse embate, consegue servir, e bem, aos seus dois senhores..."

Política. Música. Música. Vida. Rock. Cinema. Cultura.

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Assunto 1

Não existe significado para a arte. Não adianta ficar buscando-o, cada qual faz sua leitura. Ela simplesmente existe e é. E causa em nós algo que é bem complexo explicar, mas bom (às vezes ótimo como "a performance", das minas Sara, Coréia, Camila e Fernanda e o Emiliano.
Motivo da afirmação: já viram algum espetáculo de dança? É impossível não sair tonto, indiferente.
Ontem vi "Carne Santa" da cia Borelli de dança. Diz que é inspirado ne concepção oitentista de Renato Russo, mas se vc também não o engole mais, desencana que de Renato a dança não sequer a sua música.

Assunto 2

Fui corrompido pelo jornalismo. A poesia e a prosa sumiram das minhas mãos e rezo para que voltem. Por isso, indico boas leituras do recém descoberto blogue da Carol (Bataier!): Disléxica mente.

Assunto 3

Deu-se no domingo a primeira experiência com meditação. Através da mochileira Cris (Sommer), que me deu de presente um CD. Estava relegado a segundo plano, esquecido.
Entretanto, no domingo quando cheguei em casa as 7 da manhã (eu não estava na gandaia, mas quase isso: trabalho na balada), coloquei o CD e deitei-me na cama. De início estranhei. Algo natural, penso eu, para coisas que não pertencem ao cotidiano nosso.

Avaliação: foda pra caralho (o corretor do blog tá sugerindo "baralho, carvalho", o dó). Quando acordei, por volta das 2 da tarde, estava com sede. Ouvi de novo e parece que me senti muito melhor durante o dia.
A bela moça explicou numa cartinha cherosa, que há "milhões de tipos de meditação e trilhões de técnicas para se alcançar o estado meditativo, e que todas as corretes acreditam em Deus". O tal CD que ouvi é de Raja Yoga, que segundo a Cris trabalha na criação de imagens. (Se vc ler algum dos tópicos do site irá achar que é viagem. Pode ser, aliás viagens costumam ser boas).

O primeiro contato foi legal, relaxante e as coisas faladas nas músicas, como amor, paciência e sabedoria fizeram refletir bastante e o principal: acrescentaram. Mas nada daquele negócio de sentar em posição X, vela, "auhmms" e etc.
Ela conta que a meditação "oferece a vc a oportunidade de se perceber e que pessoas que meditam desenvolvem forte empatia". Se perceber talvez porque vc se depara com vários pensamentos que estão soltos na sua cabeça, isso é interessante, ao mesmo tempo que intriga e causa espanto.

Assunto 4

Um quase desabafo. Veja donde vem as grandes
e maiores influências da música que vc ouve (se for rockeiro, digo). Podem falar o que quiser, mas a música dazantigas é o que faz a cabeça. Outros tempos, dirão. Tá, beleza, mas e eu com isso?

Assunto derradeiro

Tem uma banda ridícula que se chama "Brilhantines". Os comparsas e camaradas que produzem o programa Fórmula Indie (acerca da produção rock e/ou indie nacional) escracharam-na. Vale a pena enquanto vc navega.

5 comentários:

SAMANTHA ABREU disse...

pôxa!
eu gostava da tua prosa...
aproveita o cd para tentar uma inspiração, please!
rsrsrss

enquanto isso, vou lá dar uma olhadela no blog que vc recomendou!

beijos!

GABRIEL RUIZ disse...

Bacana Samantha, valeu.
Digas o que achou da indicação, pora favor!

célia musilli disse...

às vezes, meditação é o antídoto da opressão..mas não pense nisso...sinta.. um beijo

garotabossanova disse...

Eu sou muito ligada em tudo o que é zen e que abre a cabeça.A minah natureza é muito serena,salvo em algumas excessões.Mas é que neste mundo de hj a serenidade parece algo tão ilógico...Vim pra agradecer a visita no blogue e dizer que gostei muito do teu tb.Aqui tudo cheira à música não é?Quanto à imagem achei no google.

Abraço grande!

garotabossanova disse...

Eu sou muito ligada em tudo o que é zen e que abre a cabeça.A minha natureza é muito serena,salvo em algumas excessões.Mas é que neste mundo de hj a serenidade parece algo tão ilógico...Vim pra agradecer a visita no blogue e dizer que gostei muito do teu tb.Aqui tudo cheira à música não é?Quanto à imagem achei no google.

Abraço grande!