"Um corpo sem alma é como um disco de vinil que não toca ..."

"O jornalista fere no peito o escritor. O escritor repele o jornalista, por esmagá-lo, por obrigá-lo a renascer quase sempre de um mesmo patamar. Feliz daquele que, nesse embate, consegue servir, e bem, aos seus dois senhores..."

Política. Música. Música. Vida. Rock. Cinema. Cultura.

quinta-feira, 13 de julho de 2006

Bundinha no sofá

É tudo sempre muito igual, as pessoas são as mesmas, são rostos e corpos diferentes, mentes e pensamentos e posturas idênticas! Tá todo mundo tão apático assistindo a copa pela tv, agora a novela que recomeça num início sempre igual, num roteiro parecido com aquele um do ano passado. Aquele cara no ponto de ônibus falando a mesma abobrinha que a garota da minha sala. É por isso que Machado de Assis, Hesse e Renato Russo (não que eu goste, mas as letras são boas) serão eternamente universais. As coisas não mudam nunca, não há evolução, acontece o oposto: involução! As pessoas permanecem as mesmas cobaias sociais de todos os momentos deste Brasil fúnebre que não nasceu, mas que foi abortado, sem condição nenhuma dizer “ei eu quero nascer, quando crescer serei alguma coisa de bom”. Abortaram esse meu país e eu conheci “essa coisa que já vem malhada antes mesmo de eu nascer” “O ser humano só faz aquilo que interessa a si mesmo, sempre tem um interesse por trás de qualquer ação individual” Exato! Vide bula da hipocrisia e egoísmo coletivos.

“Somos burgueses sem religião, somos o futuro da nação”. Burgueses e filhinhos de papai que não movem a bunda por causa nenhuma. Tem a grana lá todo mês, tem a comida, a compra do supermercado na dispensa, tem o shampoo para cabelos oleosos, o creme para as mãos, a roupa pra sair na balada, o nike shox e a puta queu pariu. Óbvio que não farão nada, nunca precisaram correr atrás de uma gilete! Mas tudo ótimo! Isso. Melhor. Não façam nada, pode ser até arriscado. Ser desse naipe é preferível ficar quietinhos em seus cantos singulares. O que fazer com um país que não planeja a educação? Como diria minha grande entusiasta e amiga, Vanessa Russel: vamos pegar em armas, vamos quebrar tudo! Essa droga de juventude que não fuma maconha (se bem que tem uma galera que só vive de erva, é até meio verde), não discute política e não discute o futuro do país e muito menos o que podemos fazer pra melhorar essa porra toda. “O que é isso companheiro?” Olhar para o umbigo faz bem, é isso que hoje temos, uma sociedade consumista e individualista querendo dinheiro de caixa 2 para engordar a conta e fazer aquela viagem; querendo que o trabalho desse ou daquele dê errado para entrar no seu lugar; querendo acabar logo o expediente ao invés de lutar por algo de qualidade. Como diria Abujamra: Essa juventude precisa ler! E outra vez “eu não quero saber de lirismo que não seja libertação”.

escrito ontem com fúria no pensamento.

13 comentários:

Silvia disse...

E até quando a gente vai só escrever?

Pati Barbie disse...

Pelo visto o meu relato como uma egoísta, nojentinha, aguçou a tua raiva pelos os problemas do mundo. Como a Silvia perguntou pergunto tb: E até quando a gente vai só escrever? Eu posso lhe responder que escrevei sobre isso sempre que me indignar com os problemas sociais. E depois? vou deitar no sofá tomar 2 litros de coca-cola.
Depois fazer compras fúteis no schopping.
O mundo não muda nunca. O passado só é um pouco mais brega e o presente é mais moderno, no resto é tudo igual...
Somos todos iguais e tão desiguais, um mais iguais que os outros (Engenheiros do Hawai)

Cristiano Contreiras disse...

Pois é, esse cotidiano nosso de cada dia!

Gabriel Ruiz disse...

Exato , do mesmo jeito que continuo no msn e o caralho. Silvia, rpoemto que faremos algo, vc topa?

Júlia Dantas disse...

compartilho da mesma revolta que vc no meu blog... nao perca... eu revoltada eh dificil, vc sabe

Silvia disse...

MSN? Eu mais que vc, convenhamos! hehehe
Vamos denunciar TUUUUUDOOO sim!
Tô voltando em agosto com uma fúria tão grande quanto a que motivou seu texto!
Bauru nos espera!
bjus

Claudinha disse...

Escreveu com fúria de sentimentos e nos pegou num vendaval de reflexões. A banalização das coisas, o poder de consumo falando mais alto, detona a cultura, massificando o comportamento. Eu luto contra isto. Mas nem em minha casa consigo muito com meus adolescentes... Beijos!

Cristiano Contreiras disse...

Passando novamente! boa semana

disse...

legal, revoltado... revolta é bom.

vanessa russell disse...

é isso!!! vamos pegar em armas!!! Vmaos quebrar tudo!!!! Mas quem vamos?!!?!? Quem?!!??! ....

é bem isso que a Sílvia disse... até qdo vamos escrever, falar... temos que ter atitudes... as coisas estão erradas embaixo mesmo dos nossos narizes... Eu não quero ser pessimista, mas Che disse uma vez a seu amigo Granado "Revolução sem armas, está louco?" Pois é... precisamos de uma revolução!!! Agrícola, eleitoral, política, cacerária.... e A MAIS IMPORTANTE: EDUCACIONAL!!!!
Que droga!!! nada pode funcionar em um país onde uma grande parte da população é analfabeta funcional!!!!!
Abujanra (como é que se escreve isso????) está certo: Precismos ler, ler, ler... ler A Arte da guerra, ler O Príncipe, ler 1984, Admirável Mundo Novo.... LER.... mas se nem isso sabemos fazer....

O que seremos...!?!!??!?!?

Somos o futuro da nação... geração Coca Cola (nem isso somos mais!!! Somos os netos da revolução!!! 1 geração inteira já se foi (há 21 anos acabou a ditadura militar...e o que mudou de efetivo???) mudou apenas o grau de alienação)...

quem se importa?!??! eu quero mais é trocar meu celular (que funciona mto bem, obrigada) por um novo com cores e que tire fotos!!!!

Estamos infelizmente, mergulhados até o último fio de cabelo em um oceano de futilidades... pena!!

Meu professor uma vez disse: "É a raiva que vai te salvar!!! Só a raiva salva" Talvez ele não tivesse noção do quanto ele está certo...

Chega, né?!?!?
bjos!

Anônimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

Anônimo disse...

Interesting site. Useful information. Bookmarked.
»

Anônimo disse...

Great site lots of usefull infomation here.
»