"Um corpo sem alma é como um disco de vinil que não toca ..."

"O jornalista fere no peito o escritor. O escritor repele o jornalista, por esmagá-lo, por obrigá-lo a renascer quase sempre de um mesmo patamar. Feliz daquele que, nesse embate, consegue servir, e bem, aos seus dois senhores..."

Política. Música. Música. Vida. Rock. Cinema. Cultura.

quarta-feira, 9 de agosto de 2006

Monotonia "anormal" nossa de cada dia



Era uma vez nos tempos de hoje Sara e Beto. Do Beto eu falo depois. Sara levanta-se, veste um roupão, procura os cigarros, vai a cozinha tomar um café. Combinação fatal, certa. Onze da manhã, nada na tv, só pra variar. Nada no rádio só para constar. Nenhum recado na secretária, nada. As roupas para lavar. Deixa pra semana que vem, terei mais tempo hábil. Preciso de compras e de roupas e livros novos, também. Ah! O supermercado! Ficará pra domingo, sem saco nenhum para percorrer prateleiras hoje, ainda tenho ovos e batatas na geladeira. Joga-se na cama, pega o romance quase terminado de Fernando Sabino, espreguiça-se como se houvesse hibernado e realmente hibernou depois do trampo. Enfim um banho e uma porra dum telefone que não toca. As contas e depósitos no banco já venciam de tanto deixar para amanhã e amanhã e amanhã. Uns cinco dias atrasados. Sua gata branca sobre a mesa levou um grito na orelha e escafedeu-se. Pô Sara podia ter sido mais gentil com o gato. Ah, que se dane também. O mau humor imperava já fazia umas 56 horas, culpa da TPM claro, se ela não existisse, colocaria a culpa em quem então? Pensou no cano da cozinha vazando enquanto procurava o isqueiro. Onde será que enfiei o telefone do encanador, aquela cartãozinho, deixa pra lá, depois eu vejo, vou chamar o Alceu, acho que ele quebra essa pra mim. E assim foi-se a tarde e o início e o meio da noite. Levanta, coça, lê, lê revista Cláudia, liga tv, desliga tv, pensa nos compromissos e deixa para resolver depois. No mesmo instante, do outro lado da cidade Beto (agora sim) pensava na namorada. Sara. Ouvia Rolling Stones no volume médio de seu aparelho de som. Arrumava a bagunça do quarto. Ela acendia outro cigarro e devorava um pacote de Rufles idealizando uma caminhada matinal para emagrecer umas gramas. Beto cansado também da monotonia nossa de cada dia, mesmo com milhões de coisas pra fazer, teve um estalo (click!). Passou a mão numa das melhores invenções humanas, discou para Sara e convidou-a para fazer NADA ali junto com ele no sofá amarrotado.


Mais no Jornal da Cidade on line:

Aqui

14 comentários:

§uzana disse...

É sério que é vc que escreve isso?
Gostei mesmo, disto e da visita... volte sempre!
bjx
PS: ficaria feliz se vc dissesse onde me achou.

Anandha disse...

e aí? eu faço jornalismo na UNAERP em ribeirão preto... bom q tenha achado meu humilde blog...

ah e por sinal, se nós nos conhecessemos diria q a inspiração da Sara foi eu!!!

Claudinha disse...

Acho que todos precisamos de um dia de Sara às vezes... Mas sempre seria muito relaxo, rsrs. Beijo! Gostei do conto!

Fer disse...

olha só!!! q orgulho do meu repórter especial...heheheh...tá escrevendo direitinho...eu tenho um comentário especifico pra fazer sobre cada texto, mas são mais de meia noite e pra quem acorda praticamente ao mesmo tempo que as galinhas já tá tarde...
pode parecer coisa de professorinha, mas eu tenho q dizer: vc evoluiu muuuuuito!!!! seus textos estão gostosos de ler, sacadas ótimas, só umas escorregadinhas gramaticais, mas foda-se a gramática!! hahahah...escreva mais pq tá muito bom ler vc!
(isso é uma ordem da sua editora chefe do extra! heheheh)

Gabriel Ruiz disse...

Pode deixar editora-chefe. Olha que eu acabo pegando seu cargo ein! rs

Valeu Fer.

luma disse...

Coisa boa fazer nada junto! Beijus

célia disse...

É, nada melhor do que não fazer nada.. junto. rss. Obrigada pela visita ao sensível desafio. Um beijo

célia disse...

Gabriel, me explica uma coisa, como vc configurou seu blog pra receber visitas de todo mundo? Tem amigos meus que usam o blogspot mas configuraram de um jeito que só quem tem blogspot tb pode comentar...se puder me explicar, passo a passo, por favor , envie um e-mailzinho pra mim.. tenho blog uol, pra decifrar este "enigma" teria que me inscrever no blogger e não é o caso..um beijão. bellavia2005@hotmail.com

Estou seguindo o meu caminha... Onde me leva... ?? disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Estou seguindo o meu caminha... Onde me leva... ?? disse...

Primeiro oi!
Para ser sincera... Chato é que eu sempre sou... e não seria eu se não estivesse aki comentando....
Não gostei de alguns textos seus... Não me entenda mal... Primeira impressão pega mal... e li uma reportagem sua... achei que faltou...
Agora pude dar uma boa olhada no seu blogger.. (na verdade li tudo)... adorei especialmente desta crônica...
bjs...........

Estou seguindo o meu caminha... Onde me leva... ?? disse...

Primeiro oi!
Para ser sincera... Chato é que eu sempre sou... e não seria eu se não estivesse aki comentando....
Não gostei de alguns textos seus... Não me entenda mal... Primeira impressão pode ser preconceituosa... e li uma reportagem sua... achei que faltou...
Agora pude dar uma boa olhada no seu blogger.. (na verdade li tudo)... adorei especialmente esta crônica...
bjs...........

Gabriel Ruiz disse...

Resposta a "disse seguindo..."

Agora eu fiquei intrigado. A pessoa acima ae falou várias coisas, mas o perfil dela não existe.

Obg pelas críticas, mas achou que faltou???

Fernanda disse...

"Nada melhor do que não fazer nada só pra deitar e rolar com você". Definitivamente é muito bom fazer nada com alguém. Só digo uma coisa, fala pra Sara ler a Nova e não Claudia ... ahahaha. Bjos.

Gabis disse...

Oi Gabs...
Bom, adorei o seu texto!! Achei leve, mto gostoso de ler!!
E posse dizer que me identifiquei em varias situaçoes com a Sara... eh parece q vc anda entendendo de mulher hein?? hehehe..
O semestre passado pra mim foi assim... fui uma Sara!!! Sem contar no TPM... hahaha!!!
+ vc terminou com chave d ouro... nada melhor do q fazer nada junto!!! Sempre falo isso!! hehehe..
Parabens pelo texto!!!
Bjao