"Um corpo sem alma é como um disco de vinil que não toca ..."

"O jornalista fere no peito o escritor. O escritor repele o jornalista, por esmagá-lo, por obrigá-lo a renascer quase sempre de um mesmo patamar. Feliz daquele que, nesse embate, consegue servir, e bem, aos seus dois senhores..."

Política. Música. Música. Vida. Rock. Cinema. Cultura.

quarta-feira, 24 de maio de 2006

Acho que alguém aqui pirou!

“Acho que alguém aqui pirou, estou desconfiado que esse cara sou eu”. Acho que realmente ando meio pirado e acho eu que vc também. Somos só nós que não roubamos nada. Nando reis já dizia: o mundo está ao contrario e ngm reparou. Sem mais nem menos uns jovens ai matando os pais ali. A Mari-Benéia me disse hj mesmo que foi assaltada em sampa. Minha terra natal e inigual. (neologismo?)

Alguém aqui realmente pirou. Só pode ser eu. Me internem. Aliás, tem um personagem do livro atual que é daqueles que vc lê apenas uma página por dia para não acabar. Chama-se “a casa do delírio” e já comentei com alguns de vcs. Bem... o personagem que numa tentativa frustrada de fugir do manicômio, viajou estar vendo gafanhotos enormes voando sobre sua cabeça e cuspindo fogo. Claro, numa dessas, a tentativa frustrou. E eu que me peguei assistindo American pie – o casamento. Roteirozinho norte-americano típico e eu lá. Mas escapei não vi até o final. To falando que alguém aqui pirou. E as pessoas insistem em dizer sobre minha pessoa: “fofo”. Aquele ursinho do amaciante? Mulheres, por favor, definam “fofo”. Brigado.

E olha que eu nem entrevistei o fabuloso Tom Zé AINDA. Este é o pirado mor. O “radical” dos tropicalistas. E falando em filmes, ônibus 147 é um divisor de águas em nossas vidas (Jubão e Sílvia que acompanharam). Assim como “Z” do diretor Costa Gravas. Mas tem gente aí que não vê a hora de assistir “o código da vinci”. Vamos acordar galera, a nossa realidade não é descobrir códigos e sim lutar para que nossos filhos conheçam, pelo menos, o gosto da esperança de salvar este Brasil. Aliás, só pra constar, o documentário (ônibus 147) terá um post só pra ele...

10 comentários:

Sara Lemes disse...

Queria ter ido com vcs ver o filme ontem, a Silvia tb voltou "estranha"... Mas o organismo nao acompanha nosso ritmo e eu precisava comer... na falta de din, fui fazer um miojao caprichado em casa msm...

Agora, louco e fofo vc eh... hauahuahauhau!!!
E por isso q te adoro, por nao ver tudo com olhar simples de qualquer pessoa e por seu carinho e amizade (fofinho, neh???)

Sara Lemes disse...

Ah, esqueci de te avisar...

Atualizei meu blog, aeeeeeeeee!!!

Entra lá...

Babi disse...

Pois é, o Nando já dizia.
Mas rola uma esperança. Fui comprar meu ingresso p/ o show do teatro e parece q venderam vários, Bauru me surpreende as vezes:)
Mas acho q quem pirou fui eu!

Claudinha disse...

Olá! Obrigada pela visita!
Sobre seu post, eu acho que o mundo todo pirou. Até aqui, fim de mundo, cidade pacata, tivemos recentemente casos terríveis (sequestro, represálias policiais)! Um beijão e volte sempre!

Vanessa Russell disse...

E laiá!!!
Só para constar, eu nunca te chamei de fofo... hahaha não tenho que definir nada!!! Mas, como sou uma pessoa hostil, segundo consta...
Quem pirou?!!?!?
Por que ngg assiste Z????? Pq ngg assiste ônibus 347 (é isso mesmo?)??? Porque assistem o Código da Vinci?!?!
Fácil!
AS pessoas gostam de ser enganadas e de se enganarem com falsos pensamentos importantes: Será que aquela era Maria Madalena?:! Ou João?!?!?!
Ditadura da Grécia?! Que porra!! está tão longe!!!! ônibus??! Eu ando de carro... e foi no RJ!!! Blé!!!
O MUNDO ESTÁ AO CONTRÁRIO E NGG REPAROU
Ótimo que vc tenha percebido isso tbm!
Bjs

Júlia Dantas disse...

eu não vejo a hora de ver o código da vinci... E de assistir onibus 147. oras.
ninguém precisa ser radical.

radicalismo nunca pode ser bom.

pessoas devem ser razoáveis...

bom, isso o que eu penso né. cada um, cada um.
:)

Gabriel Ruiz disse...

A questão Júlia, não é essa. Claro, que eu assistiria numa boa o código. O problema é a alienação. As pessoas ficam sabedno da existencia do onibus 147? E qual dos 2 filmes trata da realidade?

Se vc quer entretenimeto, sabe onde ir, só estou aqui tentando fazer as pessoas olharem pra realidade delas...

Júlia Dantas disse...

quanto à alienação cultural, concordo contigo... mas as pessoas nao tem culpa de serem alienadas, como o proprio termo já diz :/
portanto vc esta cumprindo seu papel de mídia divulgando filmes como esse em blogs, fotolog e etcteras.

mas sinceramente, nao sei o que pensar a respeito da alienaçao da realidade... porque as de baixa renda, alienadas culturalmente, sao as que VIVEM essa realidade. O que eu nao sei eh se elas tem consciencia do que acontece de forma mais ampla. E isso a gente resolve com uma boa educação de base no Brasil e uma mídia mais transparente, entre outros. Difícil, né? :/

Silvia disse...

É... divisor de águas... voltamos estranhos, mas voltamos à nossa vida burguesa. E hoje eu fiz uma música: "Minha vontade é minha, mas não mando nela. Queria saber como seria se eu fosse eu por um dia"... Vai entender! Piramos todos...
Quanto à sua fofisse... eu já disse q vem da sua autenticidade... E eu?
Juro que vou tentar atualizar o blog semanalmente, tah... E o próximo post (se Deus ajudar amanhã): Furukawa, Ônibus 174 e Teatro Mágico.
bjinhus

Rodrigo Saturnino disse...

E ae Gabriel,aqui fiquei pensando, o que me diz de colaborar num projeto que desenvolvo aqui em BH com uns amigos? è uma revista autoral com textos informativos mas opinativos, vc pode ser parceiro da gente. o que me diz? Seu texto é bom e vc tem crítica. acessa e olha lá: www.obinoculo.com
abracos e aguardo retorno seu. Me manda um email: jornalistasaturnino@yahoo.com.br
Valeu.